Covid-19 – 10 dicas para gerir o stress e ansiedade

Como lidar com o stress e a ansiedade em tempos do vírus Covid-19

Duas semanas após confirmação do 1.º caso positivo de Covid-19, Portugal mantém o estado de alerta decretado até 9 de abril, com possibilidade de prorrogação.

Ao dia de hoje registam-se 448 casos positivos com coronavírus no país, enquanto que os números ascendem a mais de 181 mil em todo o mundo.

Com o avançar da propagação do vírus, aumenta o número de pessoas em isolamento profilático, potenciando o aparecimento de quadros de ansiedade, stress, medo e/ou preocupação.

Com uma quantidade imensurável de (des)informação a circular nos canais digitais, a Organização Mundial da Saúde (OMS) elaborou uma lista de conselhos para lidar com a situação e diminuir a intensidade destas emoções durante o surto viral de Covid-19.

1. Evite ler ou ver notícias que causem stress
Evite ler, ouvir e assistir a notícias sobre o coronavírus a toda a hora. Procure informações apenas para se proteger ou para se actualizar de tempos em tempos. Limite a sua exposição a factos provenientes de fontes oficiais (DGS, OMS, SNS24) e jornais com credibilidade, de modo a evitar falsas notícias e alarmismos erróneos.

2. Compartilhe factos positivos
Não alimente o medo dos outros, pelo contrário procure amplificar vozes, imagens e histórias positivas. Compartilhe a experiência de pessoas que se recuperaram do novo coronavírus ou de quem ajudou uma pessoa próxima a se recuperar.

3. Recorra ao seu arsenal de ferramentas internas
Recorra a capacidades e competências que já o/a ajudaram no passado a lidar com situações adversas. Use-as para lidar com as suas emoções nos momentos mais desafiantes deste surto.

4. Converse e mantenha contacto com amigos e familiares
Active a sua rede de apoio seja através de telefone, email, SMS, redes sociais ou de videochamadas. Procure conversar diariamente com aqueles que lhe são mais próximos. Estar conectado com quem mais gosta é uma das melhores formas de reduzir a solidão ou aborrecimento durante este período.

5. Não adopte comportamentos aditivos
Não recorra ao tabaco, álcool ou drogas para lidar com as suas emoções. Se se sentir assoberbado, ligue para uma linha de apoio, para o seu médico, para um amigo ou familiar.

6. Realize actividades de lazer e relaxamento
Leia aquele livro que está na estante há anos, veja filmes recomendados, séries ou os seus programas favoritos que estão gravados há semanas na sua box, aprenda finalmente a fazer yoga ou a meditar, envolva-se em actividades e tarefas que promovam lazer pessoal.

7. Mantenha as suas rotinas e actividades habituais, tanto quanto possível
Levante-se à hora habitual, vista-se e faça as refeições de forma equilibrada. Se for praticável, trabalhe a partir de casa, mantendo-se focado e produtivo. Fazer uma lista de tarefas diárias ou até mesmo um horário pessoal/familiar poderá ajudar.

8. Faça exercício físico
Manter o seu corpo activo e saudável é extremamente importante. Sejam exercícios simples, rotinas de treino à distância ou simplesmente uma dança ao som da sua música preferida são preciosas ajudas na redução de períodos de maior ansiedade.

9. Mantenha uma alimentação equilibrada
Quanto mais saudável é a nossa alimentação, mais fortes somos, para qualquer vírus.

10. Mantenha pensamentos positivos e de esperança
Embora a sensação de ansiedade seja uma reacção normal a uma ameaça, níveis altos e constantes de ansiedade podem comprometer respostas construtivas a uma crise. Não subestime a sua resiliência, mantenha-se positivo e confiante.

Contactos úteis:
SNS24 de Portugal Continental: 808 24 24 24
SNS24 da Madeira: 800 24 24 20
SNS24 dos Açores: 808 24 60 24
Só quer tirar dúvidas? Não assoberbe as linhas telefónicas: atendimento@sns24.gov.pt‬

Ervas aromáticas: guia para plantar e usar

O sonho eterno de todos que cozinham é ter à mão os ingredientes necessários para a próxima “obra-prima” culinária. Às vezes é decepcionante e até irritante, não encontrar na despensa algum ingrediente básico, como uma determinada especiaria.

Uma mini-horta de plantas aromáticas na varanda ou no quintal permite-lhe abastecer a cozinha com aromas frescos a qualquer hora. Aprenda a cultivá-las em vaso.

As ervas aromáticas fazem parte da nossa cozinha. Salsa, orégão, coentros, cebolinho, tomilho, hortelã, manjericão, malagueta, alecrim, louro são apenas algumas das ervas aromáticas que ajudam a dar sabor aos nossos pratos. Cada prato tem obrigatoriamente de ter alguma das ervas aromáticas que apresentamos abaixo.

E quanto mais frescas melhor, por isso nada melhor do que ter o seu próprio cantinho das aromáticas em casa. E sim, é possível. O pouco espaço, ou a falta dele, não é desculpa.

As plantas frescas são mais aromáticas do que as secas ou moídas. Além de serem óptimos condimentos para os seus pratos, as ervas aromáticas ainda podem ser um bom ornamento para ter em casa ou no jardim.

Plantar ervas aromáticas em casa é mais simples do que possa pensar.

 

 

Coentro

O coentro deve ser plantado usando substratos leves com acidez neutra. As sementes devem ser plantadas em fileira em um vaso. É importante regar a planta regularmente, pois a planta morre muito facilmente sem água. Os brotos de coentro surgem dentro de algumas semanas após o plantio.

Se plantar em várias floreiras ou vasos, com cerca de duas semanas de intervalo, vai conseguir uma colheita contínua de coentros.

Perfil: apresentando-se em forma de arbusto com folhas recortadas e flores brancas delicadas, os coentros caracterizam-se pelas suas sementes picantes. No entanto, também a sua folhagem verde é amplamente utilizada na cozinha

Cultivo e cuidados: Os coentros requerem uma terra solta e permeável, num local protegido mas solarengo. Durante a fase de crescimento pedem água abundante e a sacha periódica do solo. Depois de florescer em Junho, as sementes necessitam de um período de maturação que se prolonga até ao Outono – nessa altura, colhem-se os coentros antes de espigarem, caso contrário, todas as suas folhas caem.

A colheita das folhas do coentro pode começar de 30 a 70 dias depois da germinação.

Pimenta malagueta

@omeujardim

Perfil: ao contrário do pimento tradicional, a pimenta malagueta quando floresce mantém-se na terra durante vários anos, formando, inclusive, pequenos arbustos. Os seus frutos apresentam-se de vários tamanhos e formatos, sempre vermelhos ou amarelos. Extremamente picante, as suas doses devem ser bem medidas antes de aplicadas em receitas culinárias.

Cultivo e cuidados: as sementes podem ser adquiridas ou então obtidas através de uma vagem madura da planta, que se dá igualmente bem tanto num pedaço de solo como num vaso. No Verão requer um local ao ar livre mas protegido (uma espécie de estufa) e no Inverno deve ser levada para dentro de casa – suporta muito bem o calor e os ambientes interiores, mantendo-se verde e produtiva durante todo o ano.

 

Salsa

As sementes de salsa, um dia antes do plantio, devem ser colocadas num recipiente com água. Para semear, basta plantar não mais do que 0,5 cm de profundidade e, em seguida, cobri-la com uma camada fina de terra / substrato. As sementes de salsa podem germinar, variando de 2 a 6 semanas. Deixar as sementes de molho em água morna por um dia pode apressar a germinação. Semeie as sementes no local definitivo na horta ou em vasos.

Perfil: reproduzindo-se em formato de arbusto, o cultivo da salsa é, tal como o funcho, uma produção bienal que no primeiro ano origina folha e no segundo, uma flor amarela. Independentemente de a folhagem ser lisa ou frisada, o sabor ligeiramente picante da salsa é idêntico em ambas as variedades. A salsa é amplamente utilizada na cozinha mediterrânica.

Cultivo e cuidados: a sua produção é facilmente conseguida através de semente, num terreno solto e solarengo; e subsiste tanto no Verão como no Inverno (desde que resguardada do frio ou então envasada e levada para os peitoris interiores das janelas). Quanto mais intenso for o cultivo, mais fresca se mantém a planta. Uma vez florescida, dá-se a maturação das sementes e, no final, a morte da planta – por este motivo, deve-se alterar constantemente o local de cultivo da salsa.

Alecrim

Perfil: O alecrim é um arbusto perene que pode atingir 1,5 m de altura ou mais, dependendo do seu cultivo. As suas folhas finas e seus ramos são usados como tempero, para fins medicinais e para obtenção de um óleo essencial usado na fabricação de produtos de higiene e beleza. Também é cultivado como planta ornamental, havendo cultivares de flores que são brancas ou de algumas tonalidades de rosa, azul ou violeta.

Cultivo e cuidados: É sempre melhor plantar as sementes de alecrim em um substrato húmido, em vasos não muito grandes, com uma profundidade de 15 centímetros. As sementes germinarão durante aproximadamente um mês. É importante se assegurar de que o solo esteja molhado. As plantas jovens não devem ficar expostas a temperaturas muito baixas em seu primeiro ano de vida.

O alecrim pode ser cultivado também a partir de estaquia. As mudas de alecrim são transplantadas quando têm de 15 a 20 cm de altura. O plantio por estaquia é feito cortando ramos com cerca de 15 cm de comprimento. Plante os ramos em vasos ou outros recipientes, deixados em local bem iluminado, mas sem luz solar directa. O solo deve ser mantido bem húmido até o enraizamento, que leva de três a quatro semanas. Após o enraizamento as mudas devem receber luz solar directa.

A colheita do alecrim para uso doméstico pode começar a partir de 90 dias após o plantio. Contudo, o ideal é que a colheita ocorra apenas a partir do segundo ou terceiro ano de cultivo, retirando-se no máximo metade dos ramos para não prejudicar muito as plantas.

O alecrim é uma planta perene e pode produzir bem por mais de dez anos.

Manjericão

@jardiland

Março é o mês ideal para plantar as sementes de manjericão e obter, em Maio-Junho bonitos vasos de ervas frescas para cozinhar. É uma planta anual que atinge de 30 cm a mais de 1,5 m de altura.

A colheita das folhas pode começar quando a planta estiver bem desenvolvida, o que geralmente ocorre de 60 a 90 dias após semear.

Tomilho

Vai precisar de um vaso no máximo, 15 cm de altura. Humedeça o solo com um spray e deposite poucas sementes. Cubra com um centímetro substrato. Antes que os primeiros brotos apareçam, não deixe que sequem, é preciso regá-los. A irrigação do tomilho, ao contrário do coentro, deve ser feita de forma moderada. A planta deve ser regada quando o substrato estiver seco.

Perfil: crescendo para formar pequenos e resistentes arbustos, existem diversas variedades do tomilho que crescem abundantemente, mesmo nos espaços mais reduzidos. Com um sabor e aroma irresistível, é ingrediente estrela na culinária mediterrânica.

Cultivo e cuidados: plantado com recurso a sementes ou simplesmente envasado, o tomilho gosta do calor e cresce ostensivamente. Floresce a partir de Maio, altura em que apresenta pequenas flores azuis, pode ser aproveitado logo nesta fase, uma vez que é quando apresenta o melhor paladar. Subsiste também nos meses mais frios do ano desde que coberto com uma protecção ventilada.

A colheita das folhas pode começar quando a planta estiver bem desenvolvida, o que ocorre geralmente de 60 a 90 dias após o plantio, mas o ideal é colher quando a planta está a florescer.

 

Erva Cidreira

Deve ser plantada de forma alinhada, respeitando uma distância de 12-15 cm, e deve ser regada três vezes por semana. Se você quiser que fique mais verde, é importante não deixá-la florescer. Para isso é recomendável que se corte seus brotos quando saírem, para aumentar a ramificação lateral da planta.

Perfil: no Inverno a erva-cidreira revela-se como um arbusto amplo com folhas esverdeadas e emana um delicioso aroma a limão; no Verão ostenta pequenas flores brancas. A erva-cidreira é mais saborosa quando colhida fresca e é amplamente usada em chã, refrescos e sobremesas.

Cultivo e cuidados: o seu cultivo pode ser feito por divisão, necessitando principalmente de um local com muito sol e terra solta. No final do Inverno, a planta requer uma poda quase integral para que possa desenvolver uma nova folhagem.

Oregãos

Uma planta muito resistente. Pouco exigente quanto ao substrato, mas precisa de muita luz. O melhor é colocar os vasos de orégão em um lugar muito ensolarado. Tem que semear as sementes a uma profundidade de 0,5 cm. Regar uma vez a cada 3-4 dias e, quando a planta estiver adulta, uma vez a cada 2 dias.

Perfil: apresentando-se sobre a forma de arbusto com muitas ramificações, a sua diversidade em termos de espécies resulta numa enorme variedade de plantas que incluem folhas verdes ou douradas, assim como flores brancas e lilases que, arrebentando em Julho, duram até aos meses outonais. A combinação dos óleos essenciais timol e cravacrol e o teor de vitamina C resultam num sabor delicioso que, em forma de flor fresca ou seca, é um dos ingredientes principais nos pratos italianos.

Cultivo e cuidados: o cultivo do orégão pode ser realizado através de sementes ou divisão, desde que feito num solo solto, protegido e ensolarado. Para garantir o seu florescimento, a poda deve ser feita na Primavera, prolongando-se o seu cultivo até ao Inverno, desde que protegido da geada.

 

Cebolinho

@omeujardim

Perfil: uma planta bolbosa cujas folhas verdes e flores azuladas esféricas têm um sabor picante a alho-porro e são ricas em vitaminas A e C. Delicioso em saladas e temperos, sabe bem ter o cebolinho à mão de semear e de colher.

Cultivo e cuidados: semeada ou envasada, o cultivo do cebolinho requer um solo rico em nutrientes e com elevada exposição solar. Na Primavera limpam-se as folhas em preparação para a nova rebentação e no Verão os cuidados prendem-se com uma rega adequada. No Outono, esta planta pode ser retirada da terra, envasada e colocada numa janela, para continuar a desenvolver, mesmo no Inverno. A colheita deve ser moderada, uma vez que a sua folhagem é frágil e enfraquece facilmente.

Caso opte por plantar diferentes espécies no mesmo vaso, junte as que exigem condições semelhantes. Por exemplo, abaixo, confira as necessidades de água e luz solar das dez espécies que juntámos em três floreiras diferentes.

 

ervas aromaticas

 Simples, não é?! Então de que está à espera?! Crie o seu canteiro e tenha sempre por perto as suas ervas aromáticas favoritas.
Fontes & Imagens: www.deco.proteste.pt / https://omeujardim.com / http://www.jardiland.pt/ / https://incrivel.club / Pingo Doce

Jardim de Aromas na Primavera

A primavera é a melhor altura para fazer um jardim de aromas

Ter ervas aromáticas sempre à mão prontas a usar é, cada vez mais, um privilégio. Estamos numa boa altura para empreender esta tarefa.

 

 

Esta é a melhor época do ano para começar o seu jardim de aromas, seja na varanda, no terraço, no jardim ou mesmo dentro de casa. Comece por aromáticas mais simples e de que goste, como é o caso das anuais. Semeie em local definitivo salsa, coentros, manjericão, cebolinho, rúcula, hortelã. Pode utilizar uma mesma floreira para várias aromáticas. Tenha cuidado e deixe a hortelã sozinha pois ela é muito invasiva.

Não se esqueça de pulverizar diariamente as suas sementeiras até as plantinhas começarem a germinar e ganhar alguma altura. Aí, já as pode começar a regar normalmente. Esta é, também, uma excelente época para plantar as suas aromáticas perenes como o alecrim, a alfazema, a sálvia, a lúcia-lima e/ou a erva-príncipe. Estas são algumas das que não devem faltar no seu jardim de aromas.

Pode ter todas estas plantas em vaso ou em floreira, caso seja esta a sua opção. Tenha atenção que a lúcia-lima fica um arbusto grande, embora seja de folha caduca e a erva-príncipe também cresce muito.

Quanto ao alecrim, Rosmarinus officinallis prostratus na designação científica, pode optar pelo rasteiro, se tiver menos espaço.

Há muitas variedades de alfazemas no mercado, pelo que a possibilidade de escolha a este nível também é grande.

São, também, habitualmente, as que se dão melhor em vaso ou floreira. Tenha ainda em atenção que estas plantas devem estar, pelo menos, 30 a 40 centímetros afastadas umas das outras, para garantir o melhor desenvolvimento.

Fonte: https://lifestyle.sapo.pt

O seu frigorífico está organizado?

Já alguma vez olhou para o frigorífico e pensou: “Que desorganização!”. Quantas vezes deixou estragar alimentos por não estarem à temperatura ideal? Sabe como deve organizar o frigorífico de forma a prolongar o bom estado de conservação dos alimentos e, consequentemente, poupar energia?

 

 

Prateleiras de Cima

Esta é a zona mais quente do frigorífico e a que mantém uma temperatura mais estável. Por isso, é a zona ideal para guardar comida pronta como, por exemplo, snacks, ervas aromáticas, pickles e fruta.

Prateleiras do Meio

Este é o local ideal para guardar queijo, ovos em caixas, sandes e restos de comida.

Prateleiras de Baixo

É o local mais frio do frigorífico. Por isso, é ideal para armazenar leite, iogurtes, carne, peixe fresco entre outros produtos.

Porta

A porta do frigorífico é um local de acesso, por isso, é difícil manter a temperatura. Aqui não deve guardar produtos que se estraguem facilmente, como por exemplo: o pacote de leite aberto. Deve antes guardar neste local manteiga, queijo, ovos, molhos para temperar, bebidas, etc.

Temperatura ideal

Frigorífico

O frigorífico deve rondar sempre uma temperatura entre os 0ºC e os 4ºC. É claro que depende da temperatura ambiente. Ou seja, no verão pode estar mais próximo dos 0ºC, visto que há tendência para que as alimentos aqueçam mais rápido.

Congelador

Já em relação ao congelador, este deve rondar os -15ºC e -18ºC para uma correta conservação dos alimentos. Aqui pode armazenar os itens que serão consumidos a longo prazo. Deve armazená-los em sacos de plástico, de preferência na horizontal para minimizar os tempos de congelação.

 

 

Alimentos que não deve guardar no frigorífico

  • Manjericão
  • Tomate
  • Batatas
  • Cebolas
  • Alhos
  • Pão
  • Azeite
  • Café
  • Mel

“Lembre-se que quanto maior a diferença entre a temperatura ambiente e a temperatura do equipamento, maior será o consumo de energia. Por isso, não é necessário colocar o frigorífico a uma temperatura muito baixa, pois pode comprometer, não só a conservação dos alimentos, como aumentar a despesa no final do mês!”

 

Fonte: https://dicasdecasa.pt